Tecnologia

Pesquisa mostra que o teletrabalho e as compras online ajudam a reduzir a emissão de CO2

Atividades facilitadas pelas redes de internet banda larga, como o teletrabalho e as compras on-line, podem contribuir de forma significativa para a redução da emissão de dióxido de carbônico na atmosfera. Um estudo da Global e-Sustainability Initiative (GeSI), organização que promove tecnologias e práticas sustentáveis em parceria com empresas do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), mostrou que nos Estados Unidos, França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido a adoção de atividades online economiza cerca de 500 milhões de barris de pertróleo por ano, o equivalente a 2% do que é consumido por esses países.

O estudo avaliou a energia necessária para realizar oito atividades simples possibilitadas pelas redes de banda larga, como trabalhar em casa, administrar a conta bancária, comprar pela internet, ler notícias, baixar vídeos e música, estudar à distância, reproduzir fotografia digital e se comunicar por e-mail. O resultado foi comparado com a energia gasta para realizar essas mesmas atividades de forma convencional. Só nos Estados Unidos, a economia chegou a 336 milhões de barris por ano. Já nos países da Europa estudados pela GeSI, a economia total foi de 164 milhões de barris/ano.

“A princípio, a economia parece pequena, mas isso é porque as oito atividades estudadas correspondem a uma pequena parte da economia desses países”, disse John A. Laitner. “Mesmo nessa escala, essas atividades podem gerar um grande benefício, equivalente ao total de dióxido de carbono emitido pela indústria de tecnologia da informação”, explicou. Para Laitner, a implantação das tecnologias da informação e comunicação possibilitou melhorias que constituem um passo importantíssimo em direção a uma economia produtiva e de baixo carbono.

Segundo o estudo, o teletrabalho foi responsável por 83% da redução de energia nos EUA e por 86% nos cinco países europeus. A prática ainda traz benefícios adicionais, como a diminuição do tempo gasto no transporte de casa ao trabalho e o aumento do tempo gasto com a família e os amigos.

Das oito atividades estudadas, as que menos contribuíram para a economia de energia foram as leituras de notícias e a educação online. Uma das razões, segundo o estudo, seria a dificuldade das pessoas de abandonarem velhos hábitos de consumo. A pesquisa aponta ainda para a importância de se implantar redes populares e comunitárias de banda larga, capazes de possibilitar o aumento de casas inteligentes.

“Esse estudo reforça a necessidade de se adotar práticas e políticas consistentes capazes de trazer benefícios em termos de eficiência energética hoje e também no futuro”, disse Luis Neves, presidente da GeSI. “Quanto maior o uso da infra-estrutura de banda larga disponível, maior será o estímulo à inovação e a uma economia cada vez mais verde, ao mesmo tempo em que se ajuda à transição para um sistema energético sustentável”, completou.

Por Antônio Martins Neto

Editor do Blog Mundo Possível

Leave a Reply