Social

Apaixonado por futebol, pernambucano constrói quadras em comunidades carentes do Brasil e do mundo

RECIFE – Se você acredita na força transformadora do esporte vai gostar da iniciativa de Mano Silva, um pernambucano apaixonado por futebol que resolveu usar a força dessa paixão para ajudar o mundo.

Ele é um dos fundadores da Love.Fútbol, uma organização não-governamental norte-americana que constrói quadras para que crianças de comunidades carentes possam jogar bola de uma forma segura e construtiva.

A ONG funciona desde 2005 e já construiu catorze campos com o participação de voluntários.

São nove projetos na Guatemala e cinco no Brasil, sendo dois em Pernambuco, com quinze mil crianças já foram beneficiadas.

Segundo pesquisa interna da entidade, 83% dos pais e diretores da escola disseram que a criançada teve melhora escolar, 70% reportaram diminuição no uso de drogas e 98% das crianças afirmaram praticar mais esporte depois que passaram a ter uma quadra em suas comunidades.

O jogador pernambucano Hernanes é um dos mais novos parceiros da ONG, que recebe uma quantia em dinheiro a cada gol marcado pelo jogador da Inter de Milão.

FORÇA TRANSFORMADORA

Mano Silva conta que tomou consciência da força transformadora do futebol quando foi tentar a vida de jogado numa pequena cidade do estado norte-americano do Tennessee.

Lá existiam muito imigrantes ilegais de origem latina e o brasileiro conheceu vários deles, e suas histórias de vida sofrida, a partir das peladas disputadas na comunidade.

A experiência aguçou a curiosidade de Mano e dos amigos e, com dois deles, o pernambucano viajou para Honduras.

Uma bola embaixo do braço serviu de passaporte para que o trio entrasse em comunidades remotas e perigosas, e saíssem de lá sãos, salvos e amigos dos hondurenhos.

Um ano depois, Mano e os amigos partiram para a África, mais precisamente para o Níger, um dos países mais pobres do mundo, onde fundaram o Brasil Futebol Clube.

O primeiro ministro nigerino soube da existência do BFC e programou uma partida dos brasileiros com a seleção do Níger.

“Perdemos de três a zero”, conta Mano Silva.

Mas ganharam em experiência de vida. Em meio ao deserto do Saara, Mano Silva encontrou crianças jogando futebol sob uma temperatura de 50 graus centígrados e com os pés descalços e cortados.

Nasceu aí a ideia de construir as quadras para estimular a prática do futebol e, assim, transformar a vida.

Por Antônio Martins Neto

Editor do Blog Mundo Possível

Clique aqui e veja uma série de quatro vídeos com Mano Silva.

Veja abaixo um vídeo sobre o projeto.

Leave a Reply