Economia

Empreendedorismo social: jovens aprendem na prática a montar e administrar negócios

Há algumas semanas eu conheci uma organização que tem um trabalho de empreendedorismo social.

É a Junior Achievement, entidade que surgiu há 94 anos nos Estados Unidos, está em 123 países, chegou ao Brasil há três décadas e há dez anos faz trabalhos em Pernambuco, geralmente com estudantes de escolas públicas.

O trabalho é o seguinte: a organização escolhe os participantes, que vão se dividir em grupos de 20 a 30 alunos.

Cada grupo recebe a missão de criar uma empresa, que vai funcionar como uma empresa de verdade.

São escolhidos diretores, o que vai ser produzido ou o serviço que vai ser prestado e quanto em dinheiro será necessário para começar o negócio.

Depois, os participantes vendem ações para conseguir o capital inicial e cada ação pode custar um, dois ou três reais.

No final do programa, as empresas fazem o balanço e doam para instituições de caridade a quantidade equivalente aos impostos e obrigações sociais, como o INSS de quem trabalhou.

Já o lucro é devolvido a quem comprou as ações da empresa, lá no começo do processo, e, dependendo do lucro da empresa, esses acionistas podem ganhar 10, 20 ou 30 reais por ação.

É um trabalho de educação para o mundo dos negócios, tanto que alguns alunos de fato montaram empresas depois dessa experiência.

Todo o processo é acompanhado por orientadores voluntários, que são funcionários de empresas parceiras.

Mas o que me deixou impressionado e com esperança é que boa parte dos participantes querem montar negócios sustentáveis, usando produtos recicláveis, como placas de computador velho para fazer chaveiros e caixas de leite para transformar em bolsas e carteiras.

Por Antônio Martins Neto

Editor do Blog Mundo Possível

Veja também:

Ensine uma criança pobre a poupar e ajude a acabar com a pobreza

Jovens no Brasil querem empreender, mas com sustentabilidade econômica, social e ambiental

Leave a Reply