Consumo

Informe seu endereço e encontre a feira orgânica mais perto de você

O Brasil consome um quinto de todo o agrotóxico do mundo, segundo a Agência Nacional de Vigilância Santitária, a Anvisa.

Os produtos químicos, usados para evitar pragas e garantir a produtividade das grandes e médias lavouras, estão irregularmente em 30% dos alimentos que levamos à mesa.

São legumes, verduras, frutas, grãos e carnes contaminados, com consequências incontroláveis e danosas à saúde da população.

Para marcar os quatro meses de funcionamento do Mapa das Feiras Orgânicas, plataforma digital com localização georreferencial das feiras e pequenos estabelecimentos que vendem produtos orgânicos, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, o Idec, lançou um vídeo para conscientizar a população sobre os benefícios de uma alimentação livre de agrotóxicos.

O vídeo, que também busca beneficiar o pequeno produtor, conta com a participação voluntária do ator Sergio Marone, da TV Globo, e do apresentador Cazé Pecini, da MTV.

Mapa

Já o Mapa das Feiras Orgâncias foi lançado em dezembro do ano passado, depois que o instituto constatou por pesquisa que 74% das pessoas consultadas disseram que consumiriam mais alimentos orgânicos se o preço fosse mais baixo, enquanto outras 20% citaram a presença de feiras especialidades perto de casa como fator para aderir à prática.

O Idec listou então 140 feiras de 22 capitais brasileiras e as posicionou de forma que o visitante possa encontrar aquelas mais próximas de casa, bastando para isso informar o endereço.

A ideia nasceu a partir de uma pesquisa realizada em 2012, na qual 74% dos visitantes disseram que consumiriam mais alimentos orgânicos se fossem mais baratos. Outros 20% optariam por orgânicos se houvesse mais feiras especializadas perto de suas casas.

A partir de então, o Idec criou o mapa, que conta com uma relação de mais de 140 feiras orgânicas, distribuídas em 22 capitais brasileiras.

O mapa traz também informações sobre horário de funcionamento e os produtos que podem ser encontrados em cada feira.

Em quatro meses, foram 35 mil acessos.

“Ficamos impressionado com a grande procura”, disse João Paulo Amaral, pesquisador do Idec. “Muitos ficaram conectados por seis, sete minutos, o que é muito bom”, completou.

Segundo o pesquisador, alguns internautas procuraram o Idec para cadastrar novas feiras e  até o final do ano passado, outras 60 localidades foram adicionadas ao mapa.

“O interessante é que muitas são do interior do país e não apenas das capitais”, informou Amaral.

O Idec trabalha agora com as prefeituras, governos estaduais e grupos de consumo responsável para encontrar novos produtores de alimentos orgânicos e novas feiras.

Por Antônio Martins Neto

Leave a Reply