Comportamento

Conheça nove crianças que fazem a diferença e que são fontes de inspiração

Quatro meninas africanas, com idades entre 14 e 15 anos, criaram um gerador que funciona a partir da conversão de urina em hidrogênio. Duro-Aina Adebola, Akindele Abiola, Faleke Oluwatoyin e Bello Eniola apresentaram a invenção durante a Faire África, uma convenção anual africana que reúne inventores e pensadores criativos. O gerador das meninas usa 1 litro de urina para produzir 6 horas de eletricidade.

Aos 12 anos, Richard Turere encontrou uma maneira de evitar que os leões do Quênia comam animais e para isso usou luzes LED. A missão de Richard para manter os leões longe de animais e seres humanos começou com a submissão de um projeto ao Global Talent Search. Depois de duas tentativas fracassadas, ele criou com sucesso um sistema executado com uma bateria de carro velho, um monte de luzes, e parte de um motor de automóvel que faz com que as luzes pisquem para manter os leões na baía. A invenção de Richard é agora usada em todo o Quênia e o estudante ganhou uma bolsa de estudos para a melhor faculdade do país.

Aos 10 anos de idade, o empresário VANIS Buckholz doa 25% do lucro que recebe da sua empresa de reciclagem. Depois de uma aula na escola sobre o Dia da Terra, há três anos, Vanis começou a coletar materiais recicláveis ​​no bairro onde mora, nos Estados Unidos. Pouco depois, deu início à empresa My ReCycler e ganha até US $ 200 por caminhão de material reciclável. Como o negócio cresceu, seus pais lhe ensinaram sobre instituições de caridade e ele escolheu ajudar mais de 28 mil crianças de rua em Orange County, na Califórnia, através do Projeto Esperança. Vanis foi tema de matéria aqui no Blog Mundo Possível. Veja aqui.

Às vezes, basta haver uma pessoa com coragem de falar e fazer perguntas para que a mudança ocorra. A canadense Olivia Peters, de 12 anos de idade, é essa pessoa corajosa. Depois de notar que muitas árvores locais haviam sido marcadas para serem cortadas e que teriam como destino a indústria da construção, Olivia escreveu uma carta à prefeita de Surrey, Dianne Watts, pedindo a ela para que salvasse a floresta de Bose Farms. Depois de ler a carta, os líderes da cidade rejeitaram o primeiro plano de desenvolvimento habitacional e salvaram parte da floresta.

Devido a dificuldades financeiras, Detroit não foi capaz de manter seus parques. Aos 9 anos de idade, Joshua Smith se viu frustrado por não ser capaz de jogar em seu parque local, devido à grama sem cortes e ao lixo. O menino então montou uma banca para vender limonada orgânica e assim arrecadar dinheiro para salvar os parques da cidade. O negócio cresceu e ele passou a vender também pipoca orgânica, ponche de frutas, e água. O faturamento de mais de 3.000 dólares foi doado para a cidade. Joshua também inspirou outros voluntários, que ajudaram a cortar a grama nos parques e a recolher o lixo.

Há quatro anos, “Eco” Erek Hansen recolhe jeans e sapatos usados ​​para reciclá-los. O material é doado a organizações como USAgain e Cotton From Blue to Green. Até agora Erek coletou mais de 14 mil itens de denim e mais de 7 mil pares de sapatos para serem reaproveitados como novos itens ou reutilizados pelos menos favorecidos. O garoto, que tem 12 anos e mora em Ohio, diz que adora reciclar e até criou o site Eco Erek para aceitar doações.

Leave a Reply