Cidades

Moradores transformam depósito de lixo em horta comunitária em favela de São Paulo

O que acontece quando a esperança de construir um mundo melhor se junta à força da coletividade?

Numa favela de São Paulo, essa união levou a uma transformação de vida, individual e coletiva.

O nome da comunidade, vejam só, é Vila Nova Esperança.

Ela surgiu em 1960 e tem cerca de 600 famílias.

Há doze anos, os moradores plantaram uma horta comunitária num terreno que servia de lixão.

Logo, as pessoas pararam de jogar lixo no espaço e a ameaça de desapropriação foi afastada.

Tudo que sai da horta é compartilhado na comunidade.

O plantio periódico é feito em mutirões de até 50 pessoas e a proteção das hortaliças é feita com materiais reutilizados, como garrafas PET.

Mas comunidade colhe bem mais que verduras e hortaliças: colhe contribuições e parcerias.

A mais recente foi com a companhia de saneamento do Estado de São Paulo, que cedeu um terreno vizinho para que o cultivo seja ampliado junto com a construção de uma creche e um campinho de futebol.

Agora, os moradores buscam recursos de empresas privadas para começar as obras.

Com a ampliação da área, a ideia é poder comercializar parte do volume colhido, com a geração de trabalho e renda para os moradores.

A experiência dos moradores da Vila Nova Esperança lembra à da cidade de Tordmorden, no interior da Inglaterra, contada aqui no Blog Mundo Possível.


Leave a Reply