Cidades

Capannori, na Itália, é exemplo europeu na redução de lixo

A imagem de uma criança mergulhada até o pescoço num rio de lixo no Recife é uma vergonha para todos e mostra a nossa incompetência enquanto sociedade.

A cena chama a atenção para a situação das crianças do país, apesar dos premiados programas sociais, e também para o problema do lixo, que é ao mesmo tempo ambiental e social.

Lixo que, por lei, deveria ser coletado de forma seletiva, como determina a Política Nacional de Resíduos Sólido.


A matéria foi aprovada há três anos mas ainda hoje apenas 18% dos municípios brasileiros implementaram a coleta seletiva, segundo dados do instituto de pesquisa econômica aplicada, o IPEA, sem falar que a quantidade de material recuperado ainda é pequena quando comparada com o total coletado.

Mas há solução, como mostra a experiência dos moradores de Capannori, uma cidade com 45 mil habitantes na região de Toscana, na Itália

Com uma das mais altas taxas de reciclagem municipais na Europa, Capannori é um exemplo de políticas públicas inovadoras e audaciosas com participação da comunidade.

Em 2007, a cidade assinou a estratégia europeia de “lixo zero”, comprometendo-se a zerar os resíduos enviados para aterros sanitários até 2020.

Entre 2005 e 2010 foi introduzido em todo o município o sistema de coleta porta a porta, quando

82% dos resíduos urbanos eram separados na fonte, deixando apenas 18% para serem enviados para o aterro.

Em 2012, foi implementada a “Taxa do Lixo” em alguns bairros do município.

A tarifa, que incentiva ainda uma melhor separação e redução, levou os índices de separação de resíduos na fonte a 90%.

Um dos elementos de maior sucesso do novo sistema de coleta tem sido a separação e o reaproveitamento dos resíduos orgânicos que são enviados para uma unidade de compostagem.

Enfim, em Capanorri não há crianças tomando banho em rio de lixo por que simplesmente não lixo há nas ruas nem nos rios.

Alguns dos principais pontos do projeto foram listados pelos pesquisadores da Plataforma Cidades Sustentáveis:

  • Foram inauguradas duas estações de recarga de auto-atendimento para o leite e introduzido um modelo de distribuição de alimentos chamado “Short Chain” (cadeia curta) – os fornecedores são as cooperativas de agricultores locais e os consumidores compram sem a intermediação de fábricas de embalagens ou varejistas. A iniciativa tem sido muito bem sucedida: 200 litros são vendidos por dia por meio das estações e 91% dos clientes recarregam seus próprios recipientes, reduzindo, assim, cerca de 90.000 garrafas do sistema de resíduos.
  • Outra iniciativa inclui uma campanha para aumentar o consumo de água da torneira em vez da engarrafada.
  • Em 2010, Capannori criou o primeiro Centro de Pesquisa de Resíduos Zero na Europa, com o objetivo de estudar o que é deixado na fração residual doméstica e comercial. Capannori, como muitos outros municípios italianos onde são aplicados os sistemas de recolação porta-a-porta, tem uma taxa de coleta seletiva acima de 75%. Por isso, o Centro tem como foco estudar o que fazer com os restantes 25%.

Resultados já obtidos

– Em Capannori, 99% dos habitantes separam os resíduos na origem e a satisfação com o serviço é de 94%;

– 100% de coleta seletiva no município;

– Em 2012, 82% dos resíduos urbanos foram separados na fonte;

– Nos bairros onde foi implementada a taxa do lixo os índices de separação subiram para 90%.

Clique aqui para ouvir a coluna Mundo Possível de hoje na Rádio JC News.

Assista abaixo uma reportagem da TV italiana RAI 3 sobre o lixo em Capannori.

Leave a Reply